Notícias

Ver notícia


Nos primeiros cinco anos, as cidades atendidas receberão 45% do investimento total, de R$ 6,2 bi

Vencedora dos Blocos 1 e 2 do leilão de universalização de esgotamento sanitário para 24 cidades do Ceará, a Aegea, líder do setor no país, lança mão da expertise para promover transformações positivas no Estado, por meio da Ambiental Ceará. Nos 100 primeiros dias de operação, a empresa deve realizar obras que promovam avanços históricos, como a primeira Estação de Tratamento de Esgoto na centenária Santana do Cariri, além de usar tecnologia para combater lançamentos irregulares de esgoto in natura no mar dos municípios litorâneos atendidos, a fim de contribuir para a balneabilidade das praias. Ainda, estão previstas a implantação imediata de novas redes de esgoto, além da ampliação e modernização da infraestrutura existente.

No sul do Ceará, o município de Santana do Cariri receberá a primeira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) em 137 anos de existência. Redes inativas, ou seja, sem uso, que não recebem e nem direcionam o esgoto para tratamento, entrarão em operação. “Vamos dar utilidade à infraestrutura atual, colocando-a em operação, com manutenção e desobstrução necessária, além de complementar o ciclo para a devida coleta, afastamento e tratamento de esgoto. Com a ETE em operação, devem ser coletados e tratados, por dia, 720 mil litros de dejetos. Na sequência, a dinâmica é seguir com a ampliação da infraestrutura”, explica André Facó, diretor-presidente da Ambiental Ceará.

As cidades de Nova Olinda e Farias Brito, situadas também na Região Metropolitana do Cariri, receberão, da mesma forma, as primeiras Estações de Tratamento de Esgoto. “Identificamos municípios que apenas coletam esgoto, mas ainda não tratam o dejeto. Nossa meta é fazer com que todo esgoto coletado receba tratamento. Assim, iremos efetivamente promover desenvolvimento nas cidades, com impacto na saúde, turismo e meio ambiente”, pontua o diretor-presidente.

“Cada cidade atendida receberá atenção e investimentos necessários para o atingimento das metas de universalização do saneamento”, garante Facó. Para os municípios onde não há infraestrutura existente, a empresa está desenvolvendo projetos de engenharia, bem como organizando documentação para licenciamentos ambientais junto aos órgãos competentes.

O plano compreende ainda o lançamento de mais de 110 km de novas redes coletora de esgoto, que serão implantados em Aquiraz, Cascavel, Chorozinho, Eusébio, Guaiúba, Horizonte, Itaitinga, Maracanaú, Maranguape, Pacajus e Pacatuba.

A Ambiental Ceará também já iniciou rodas de conversa com lideranças comunitárias para sensibilizar a comunidade sobre a importância das melhorias e, colaborativamente, traçar estratégias que favoreçam o andamento das obras e o dia a dia dos moradores.

Tecnologia

Mais de 5 mil ativos foram mapeados com a tecnologia Infra Inteligente, que adota equipamentos de precisão como drones, GPS e câmeras 360º. Com isso, já foi possível identificar áreas sensíveis para intervenções mais urgentes, contempladas no plano de operação da empresa, que visa responder a necessidades da população, contribuindo desde à preservação do meio ambiente, fomento ao turismo e mobilidade urbana.

Um robô ajudará na fiscalização para coibir o despejo irregular de esgoto, tão nocivo aos mares e córregos. Multifuncional, o equipamento também é capaz de identificar obstruções na rede de esgoto, que provocam extravasamentos. “A tecnologia a serviço do saneamento nos possibilita ter acesso visual ao que está abaixo do solo. A informação é um diferencial de tempo e assertividade, otimizando o trabalho em campo e dando uma resposta mais ágil e definitiva”, conclui Facó.

Parceria

Por meio de Parceria Público-Privada (PPP) firmada com a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), a Ambiental Ceará fica responsável pela ampliação, operação e manutenção dos sistemas de esgotamento sanitário em 24 municípios das regiões metropolitanas de Fortaleza e do Cariri. A empresa realizará serviços comerciais como substituição de hidrômetros, padronização de ligações, atualização cadastral e fiscalização e combate às fraudes. Já a Cagece segue responsável pelo abastecimento de água e atendimento ao cliente.

Atualmente, a fase de operação assistida nas 17 cidades do Bloco 1 está sendo concluída. Os municípios integrantes do Bloco 1 da PPP são: Aquiraz, Cascavel, Chorozinho, Eusébio, Guaiúba, Horizonte, Itaitinga, Maracanaú, Maranguape, Pacajus, Pacatuba, Juazeiro do Norte, Barbalha, Farias Brito, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri. Um total de R$ 2,6 bilhões será destinado a essas cidades, beneficiando 1,1 milhão de pessoas.

Bloco 2

O contrato de PPP referente ao Bloco 1 foi assinado em 3 de fevereiro e, agora, espera-se a assinatura do Bloco 2, que tem investimento de R$ 3,6 bilhões, beneficiando mais de 3,2 milhões de cearenses com a universalização do acesso à coleta e tratamento de esgoto nos municípios de Fortaleza, Caucaia, Paracuru, Paraipaba, São Gonçalo do Amarante, São Luís do Curu e Trairi.

Enquanto aguarda a assinatura, a Ambiental Ceará já iniciou o monitoramento de situações críticas a serem solucionadas, como o forte odor emitido pela Estação de Pré-Tratamento (EPC) da avenida Presidente Castelo Branco, mais conhecida como avenida Leste-Oeste, em Fortaleza. “O que incomoda a população, nos incomoda também. Isso nos motiva a buscar soluções e tecnologias para, no curto prazo, atender às necessidades das cidades. É o que faremos para atender aos moradores do entorno e banhistas”, explica Facó.

Grandes transformações

O plano de 100 dias é uma prévia do que está por vir, considerando o projeto transformador da PPP com a Cagece, que tem investimento total de R$ 6,2 bilhões, beneficiando mais de 4,3 milhões de cearenses. “Somente nos cinco anos iniciais, serão investidos 45% do montante, que, somado à capacidade e eficiência operacional da Aegea, será capaz de promover o avanço do saneamento com qualidade e velocidade para o desenvolvimento das cidades atendidas”.

Serão construídas 27 Estações de Tratamento de Esgoto (ETE), 249 Estações Elevatórias e implantados mais de 4.000 km de novas redes de esgoto, quase a distância em linha reta entre os dois pontos extremos do Brasil, do Oiapoque (AP) até Chuí (RS). Com a ampliação da infraestrutura, serão coletados e tratados, por mês, mais de 1 bilhão de litros de esgoto. A PPP do esgoto no Ceará também irá movimentar o mercado de trabalho local: mais de 10 mil empregos diretos e indiretos serão gerados, valorizando a mão-de-obra cearense.

Expertise nacional

A Ambiental Ceará é uma empresa da Aegea, líder no setor privado de saneamento básico no Brasil. Ao todo, a Aegea atua em 171 municípios, em 13 estados brasileiros, atendendo aproximadamente 22,7 milhões de habitantes. O grupo já opera no Ceará, por meio da concessão da Ambiental Crato, no município do Crato, onde a cobertura de esgoto saltou, em apenas 120 dias, de 3% para 16%, devendo avançar para 50% até 2024.

Compartilhar:

Veja Também

Contato Saiba mais
Contato

O atendimento ao cliente permanece com a Cagece. Utilize a Central de Atendimento da Cagece para qualquer solicitação.

Politica de Inv. Social Privado Saiba mais
Politica de Inv. Social Privado

Uma concessão é muito mais que um acordo com o poder público, é um compromisso com o lugar e com sua gente.

Quem Somos Saiba mais
Quem Somos

A Ambiental Ceará é responsável pelos serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em 24 municípios cearenses.

Esgotamento Sanitário Saiba mais
Esgotamento Sanitário

A Ambiental Ceará trabalha diariamente para ampliar e melhorar o índice de coleta e tratamento de esgoto.