Notícias

Ver notícia

Ampliação da rede de coleta está sendo realizada pela Ambiental Ceará, que é responsável pelo esgotamento sanitário de Fortaleza e mais 23 cidades

A vendedora Ellen Garcia, de 40 anos, observa da porta de casa, no José Walter, a movimentação de máquinas e trabalhadores atuando na ampliação da rede de coleta de esgoto. Apesar do barulho e da interdição na rua, ela vê a intervenção com boas expectativas: “Estou só esperando a tubulação passar aqui em frente pra poder ligar minha casa no sistema. Aqui, temos uma fossa, mas ela já está cheia e quero desativar”, adianta. 

Residente naquele bairro desde que nasceu, Ellen nunca teve acesso ao sistema de esgotamento sanitário e, nos últimos anos, gastava cerca de R$ 1.000, anualmente, para esvaziar a fossa séptica instalada no quintal de casa. A vendedora faz parte de uma das famílias beneficiadas com o serviço de ampliação de 300 metros de rede de esgoto, que está sendo realizado pela Ambiental Ceará no bairro. O trabalho está dentro do cronograma da Parceria Público-Privada firmada com a Cagece, e que atende Fortaleza e 23 cidades das regiões metropolitanas da Capital e do Cariri, com o objetivo de universalizar o acesso à coleta e ao tratamento de esgoto para 90% da população desses municípios até 2033.

Ellen Garcia, moradora do José Walter, ao lado dos pais, na rua onde reside há quatro décadas. (Foto: Divulgação)

A intervenção no José Walter vai resolver, também, um extravasamento histórico na região, que afeta a rotina e até mesmo a geração de renda da comunidade. “Trabalho aqui há mais de 25 anos e, às vezes, os meus clientes precisam dar a volta no quarteirão para conseguirem chegar na minha oficina sem passar por dentro da lama”, relata o autônomo Adauto Alves Távora Neto, proprietário de uma auto elétrica.

“As intervenções fazem parte do Plano de 100 dias traçado para a Capital, a fim de proporcionar impacto para a população já no curto prazo. Essas mudanças na vida dos moradores do José Walte e Parque Santa Rosa refletem, já, os benefícios do avanço do esgotamento sanitário”, destaca o diretor de Operações da Ambiental Ceará, Fernando Lima.

A operação é acompanhada, em tempo real, a partir do Centro de Operações Integradas (COI), de onde são monitorados, 24h por dia, mais de 400 Estações de Tratamento e Elevatórias de Esgoto (ETEs e EEEs), além das atividades das equipes em campo. “As tecnologias que empregamos diariamente na operação visam a melhoria contínua do serviço prestado à população”, reforça Lima. 

Cobertura total de esgoto

No Parque Santa Rosa, também em Fortaleza, outra frente de trabalho da Ambiental Ceará atua na ampliação da rede coletora. Essa infraestrutura vai permitir que 100% do bairro tenha acesso à coleta e ao tratamento de esgoto. “Nessa rua, somente os moradores de um lado têm rede de esgoto, que é o meu caso. Há uns anos, um vizinho chegou a pedir para ligar a casa dele na minha rede de esgoto, porque ele não aguentava mais ter que resolver a fossa estourando o tempo inteiro, mas eu não fiz isso porque ia prejudicar todo mundo”, conta a consultora de beleza Antônia Praxedes, 53. “Vai ser bom pra todo mundo, porque não vai mais ter o mau cheiro na rua quando alguém deixa o esgoto correndo a céu aberto”, celebra.

Antônia Praxedes, moradora do Parque Santa Rosa. (Foto: Divulgação)

A Ambiental Ceará está realizando, desde setembro, o trabalho de limpeza e desobstrução das redes, melhorias nas Estações de Tratamento e Elevatórias de Esgoto (ETEs e EEEs), operação e monitoramento do sistema de esgoto da Capital.

Nas 24 cidades operadas pela empresa, em apenas cinco meses, as obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário já resultaram na implantação de mais de 36,6 km de novas redes de coleta de esgoto, viabilizando quase 5,5 mil ligações de imóveis ao sistema. 

PPP do esgotamento sanitário

Por meio da Parceria Público-Privada (PPP) firmada com a Cagece, a Ambiental Ceará é responsável pela ampliação, operação e manutenção do sistema de esgotamento sanitário em 24 municípios das regiões metropolitanas de Fortaleza e do Cariri. A PPP atende 4,3 milhões de cearenses e, ao todo, R$ 6,2 bilhões serão investidos em obras. A PPP visa promover o avanço do esgotamento sanitário para 90% da população até o ano de 2033, avançando para 95% em 2040.

Compartilhar:

Veja Também

Esgotamento Sanitário Saiba mais
Esgotamento Sanitário

A Ambiental Ceará trabalha diariamente para ampliar e melhorar o índice de coleta e tratamento de esgoto.

Política de Sustentabilidade Saiba mais
Política de Sustentabilidade

Respeito ao meio ambiente e as pessoas, contribuindo para qualidade de vida e saúde da população onde atuamos.

Notícias Saiba mais
Notícias

Confira as últimas notícias da Ambiental Ceará e saiba mais sobre obras, programas e projetos.

Responsabilidade Social Saiba mais
Responsabilidade Social

A atuação social e ambientalmente responsável faz parte da nossa história e do nosso propósito.